Estimulação Magnética Transcraniana - EMT

A Estimulação Magnética Transcraniana repetitiva (EMT) é uma técnica de neuromodulação que se utiliza do direcionamento de um campo magnético potente para uma pequena área do córtex cerebral.


Não é choque, são pulsos magnéticos que provocam reações dentro do cérebro e que são dados com o paciente acordado, sem a necessidade de anestesia, feito com o paciente conversando. A sensação do paciente durante o procedimento varia conforme a intensidade do pulso, assemelhando-se desde um formigamento mais intenso no couro cabeludo até a sensação de como se houvesse um pequeno objeto lhe tocando a cabeça repetidas vezes, à medida que os pulsos são emitidos.

 

A EMT é um método de tratamento reconhecidamente eficaz, liberado pelo Conselho Federal de Medicina no Brasil para o tratamento das depressões e da esquizofrenia desde 2012, utilizado como método de tratamento desde 2001 no Canadá e desde 2008 nos EUA. É uma modalidade de tratamento biológico desenvolvida principalmente por psiquiatras, no Brasil principalmente no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (IPq-HC/USP). 

 

Os estudos sobre EMT revelaram que este é um procedimento seguro, desde que realizado por médico devidamente habilitado para tanto, seu uso está em acordo com os parâmentros de segurança descritos pela Organização Mundial de Saúde (1987) para a exposição de humanos a campos magnéticos, de modo geral, e também em conformidade com normas de segurança internacionais para EMT.

Geralmente os efeitos colaterais produzidos pela EMT são mínimos. Alguns pacientes referem dor de cabeça, que é tratada com analgésicos simples.

 

Como funciona a EMT?

O equipamento gera um campo magnético potente emitido por uma bobina. Esta bobina, colocada sobre a cabeça do paciente faz com que os pulsos magnéticos atravessem sua calota craniana e atinjam seu córtex cerebral.

 

Isto é feito em regiões específicas da cabeça de cada paciente, conforme seu diagnóstico e seu plano de tratamento. A médica programa os pulsos magnéticos a serem emitidos pelo equipamento também de acordo com cada caso, seu diagnóstico e seu tratamento. Em uma mesma sessão os pulsos magnéticos são repetidos centenas de vezes.

 

O efeito da EMT ocorre pela liberação de neurotransmissores (serotonina, noradrenalina, dopamina) e pelo aumento da inibição do sistema GABAérgico.

 

Para que o tratamento seja eficaz é necessário que se realize várias sessões. Geralmente, nas depressões unipolares, o número de sessões não é inferior a dez. Os efeitos clínicos ocorrem após várias sessões. Cada sessão dura em média meia hora.

 

O que a EMT trata? 

  • DEPRESSÃO: Depressão Unipolar, Depressão bipolar, Distima, Depressão durante a GRAVIDEZ, Depressão pós-parto, Depressão pós-AVC

  • ESQUIZOFRENIA [entenda em que circunstâncias...]

  •   DERRAME OU AVC   (isquemia cerebral), nos casos de Depressão pós-AVC [saiba mais]

  • DEPENDÊNCIA A COCAÍNA [tire suas dúvidas]

  • TABAGISMO [tire suas dúvidas]

  • TRANSTORNO DE ESTRESS PÓS-TRAUMÁTICO [tire suas dúvidas]

  • DOR NEUROPÁTICA [tire suas dúvidas]

  • ZUMBIDO/TINNITUS [tire suas dúvidas]

  • DOENÇA DE PARKINSON [tire suas dúvidas]

  • SÍNDROME DOLOROSA COMPLEXA REGIONAL [tire suas dúvidas]

 

Quero fazer a EMT, como proceder?

O paciente deve passar por uma avaliação médica conosco a fim de definirmos se de fato o paciente porta uma doença que pode ser tratada com a EMTr. Em caso afirmativo, nesta consulta também planejamos o tipo de estímulo aplicado (protocolo de tratamento), assim como número inicial de sessões, agendamento , etc.

Pessoas que já são tratadas por um médico também devem passar pela nossa avaliação inicial, e devem pedir ao seu médico um relatório que contenha:

  • seu diagnóstico(s),
  • há quanto tempo tem a doença,
  • o nome e as doses dos medicamentos já utilizados

Se não houver contra-indicações para a Estimulação Magnética e se o procedimento puder beneficiá-lo, isto é, se de fato servir ao seu caso, poderemos então agendar as sessões.

 

Quem não pode fazer a estimulação (EMT)?

A EMTr está contra-indicada para: 

  • usuários de marca-passo cardíaco;
  • pessoas que possuam implantes de metal na cabeça: clipes de aneurisma, próteses cocleares.

 

Portadores de epilepsia podem ou não se submeter a EMTr. Isto dependerá:

  • do motivo pelo qual foi indicado o tratamento;
  • da epilepsia: tipo de epilepsia, controle, anticonvulsivante em uso, etc.

 

Matéria exibida no Programa Bem-Estar, gravada no Instituto de Psiquiatria da USP, sobre a Estimulação Magnética Transcraniana.

Em 15/04/2014.